Estados Brasileiros
Divisão Administrativa
Região Centro - Oeste
Região Nordeste
Região Sudeste
Região Norte
Região Sul
Fale Conosco
Mapa do site






Estado do Ceará
ceara.png
Aspectos Geográficos

O Ceará tem seus relevos bem elevados. Ele é composto de chapadas e cuestas (relevos assimétricos). A Serra do Ibiapaba demarca o estado na direção oeste. Mas as chapadas são as formas mais comuns da região. O clima é o tropical. A vegetação que predomina é a caatinga. No entanto, a fauna e a flora são adaptadas ao clima semiárido. Na vegetação litorânea há predominância dos mangues e restingas (terreno arenoso e salino próximo ao mar). Nos locais em que não tem vegetação, encontram-se as dunas.

Passam pelo terreno cearense cerca de sete bacias hidrográficas. A Bacia do rio Jaguaribe é a mais extensa, com aproximadamente 610 km. O Ceará tem dois reservatórios de água imensos,  que represam o Jaguaribe: o Açude Orós e
o Açude Castanhão. Os afluentes do Jaguaribe são os rios Salgado e Banabuiú. No estado, encontram-se várias outras bacias: do rio Acaraú, o açude Araras, o rio Coreaú, o rio Curu, Aracatiaçu, Aracatimirim, Mundaú, Trairi, Ceará,  Cocó, Pacoti, Choró e parcela da Bacia do rio Parnaíba.

O estado do Ceará tem sua indústria de roupas, calçados, têxtil, química, metalúrgica e alimentícia potentes no mercado. Em meio à atividade industrial, na agricultura ele se destaca pelo cultivo do feijão, milho, arroz, algodão, castanha de cajú, e,  principalmente, cana-de-açúcar, mandioca, tomate, banana, laranja, coco e uva.

Como em várias partes do território brasileiro, no Ceará, do setor do extrativista mineral são extraídos: o ferro, o calcário, o magnésio, o granito, a argila, o petróleo, o sal marinho, o grafite,   o gesso e o urânio. Outro fator dinamizador da economia é a atividade do serviço turístico cearense: os turistas procuram o estado para fazer  diversos tipos de turismo -   cultural, religioso e ecoturismo.
 
O Ceará ocupa uma área total de cerca de 150.000 km². Nesse espaço, a população é estimada em torno de 8,5 milhões de habitantes. Faz divisa com os estados do Piauí, Rio Grande do Norte, Paraíba e Pernambuco. A capital do Ceará é Fortaleza e é a cidade mais populosa do estado cearense. Algumas de suas cidades mais importantes são: Fortaleza, Juazeiro do Norte, Crato, Sobral, Itapipoca, Iguatu e Quixadá. Confira abaixo informções sobre algumas das principais cidades do estado do Ceará:
 
Fortaleza

Fortaleza é a capital do estado do Ceará e abrange uma área de 313,40 km². A cidade possui o maior PIB do Nordeste e é a segunda mais populosa do Brasil. No turismo, Fortaleza é um dos destinos mais procurados pelos brasileiros graças as variadas atrações turísticas que oferece como o Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura (CDMAC), o parque aquático Beach Park, a Praia do Futuro, a Praia de Iracema, a Ponte dos Ingleses, entre outros. Por isso, a cidade possui uma infra-estrutura turística adaptada para acomodar os visitantes, cercada pelos hotéis de Fortaleza, os barzinhos, os quiosques na praia, boates, etc.
 
A capital do Ceará é também um local de talentos, a cidade é a terra natal dos escritores José de Alencar e Raquel de Queiroz, do humorista Chico Anysio e do ex-presidente Castello Branco.

 
Juazeiro do Norte

Juazeiro do Norte situa-se ao sul do estado do Ceará e abrange uma área de 248,558 km³, a 533 km de Fortaleza. Juazeiro se tornou muito conhecida pela figura do Padre Cícero e hoje é considerada um dos maiores centros de religiosidade popular do Ceará, recebendo milhões de romeiros todos os anos.

A cidade de Juazeiro do Norte é também a terceira cidade mais populosa do estado e possui uma cultura muito rica, de acordo com uma pesquisa feita pela UFRJ, a cidade é a maior em população envolvida em atividades culturais. Os grupos de teatro, a dança representada pela cultura dos reisados, bandas cabaçais e lapinhas, o artesanato, a literatura de cordel e o forró são marcas da cultura de Juazeiro.

Crato

A cidade de Crato é um município localizado no interior do estado, integrante da Região Metropolitana do Cariri. A cidade abrange uma área de 1 009,202 km², faz divisa com o estado de Pernambuco e situa-se no Cariri Cearense, também chamado como o “Oásis do Sertão”. A população concentra-se na zona urbana e a economia baseia-se na agricultura, pecuária, extrativismo vegetal, mineração, piscicultura e artesanato.

O turismo também é uma importante fonte de renda para a cidade, a beleza natural da Chapada do Araripe e a exuberante arquitetura do Centro Histórico do Crato atrai visitantes. Crato, inclusive, é tema de uma música de Luiz Gonzaga chamada “Eu vou pro Crato”.

Sobral

Sobral é o município mais desenvolvido do interior do Ceará, de acordo com o IDH.  A cidade abrange um área de 2 212,989 km², fica a 238 km da capital e a única do estado que compete com a capital a liderança nas exportações no Ceará. Na economia há destaque para o setor primário, o extrativismo vegetal, a mineração e o artesanato, além de ser um polo industrial.

A cidade de Sobral é conhecida internacionalmente por ter sido o lugar de comprovação da Teoria da Relatividade de Albert Einstein. O sítio urbano da cidade foi considerado patrimônio cultural do Brasil pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN) em 1999.

Quixadá


Quixadá está localizado no estado do Ceará e faz parte do chamado semi-árido nordestino. Um dos aspectos mais marcantes da cidade são as formações rochosas, monólitos, com diferentes formatos que chegam a medir 90 metros e rompem com a aparente monotonia da paisagem.
 
As principais atividades econômicas da cidade de Quixadá estão relacionadas à prestação de serviços e ao comércio, em seguida, estão a avicultura e a ovinocaprinocultura.

Entre os lugares mais visitados por turistas estão o Santuário Nossa Senha Imaculada Rainha do Sertão, que conta com estátuas e retrata as estações da Paixão e Ressurreição de Cristo e o Chalé da Pedra.

 
Aspectos Históricos

Antes da divisão territorial brasileira, feita entre Portugal e Espanha, os navegadores espanhóis haviam aportado seus navios nas regiões que hoje pertencem ao Ceará, fato que ocorreu antes mesmo de Cabral realizar o achamento do Brasil. Vicente Pinzón, achou, sem saber disso, a terra do Ceará. Porém,  não pode se apossar dela, devido ao futuro tratado de Portugal e Espanha, o Tratado de Tordesilhas.

A mais tardia capitania hereditária do Ceará, dada por D. João III a Antonio Cardoso de Barros, foi esquecida por seu então donatário e por vários anos, não foi colonizada. No entanto, a partir de 1603, Pero Coelho de Sousa recebeu do governador geral do Brasil, Diogo de Botelho, o cargo de Capitão – Mor.

Pero Coelho, já intitulado com sua patente, resolveu seguir para a capitania cearense, a fim de explorar as riquezas da terra.  O Capitão – Mor havia tido prejuízos na capitania da Paraíba. Diante disso, rumou para a região do Ceará. Chegando lá, fugiu. Deparou-se com os índios Tabajaras que ali viviam. Então,  Pero Coelho seguiu para o litoral.

No litoral, edificou uma espécie de forte ao qual deu-se o nome de São Tiago. Mas devido a um período  de seca,  juntamente com possíveis desvios de recursos, enviados pelo governo, da parte de João Saromenho, saiu do território, em 1606.

Em 1637, os neerlandeses invadiram a capitania hereditária do Ceará, mas foram expulsos pelos índios depois da destruição do Forte de São Sebastião. Os holandeses voltaram depois de cinco anos, liderados por Matias Beck. Ergueram o Forte Shoonemborch, onde hoje se situa a cidade de Fortaleza.

Após a nova expulsão dos holandeses, em 1654, pelo comandante português Álvares de Azevedo Barreto, mudou-se o nome do Forte Shoonemborch para Forte de Nossa Senhora da Assunção. Apenas em 13 de abril de 1726, fundou-se o município de Fortaleza de Nova Bragança. Logo depois, em 1823, o Imperador Dom Pedro I elevou o município à cidade.

Em 25 de março de 1884, houve no estado cearense a primeira libertação dos escravos do Brasil.  Ocorreu quatro anos antes da Lei Áurea (lei assinada pela Rainha Isabel, para a libertação dos escravos em todo território brasileiro), em 1888. Em Consequência disso, José do Patrocínio deu ao Ceará o nome de honra, Terra da Luz.

No estado do Ceará, é comum período de secas  intensas. Por isso, vários dos habitantes  foram rumo à região norte do país.  Nas décadas de 40 e 50, o Governo Federal construiu diversos açudes para amenizar a estiagem intensiva do sertão do Ceará. Também porque a seca prejudicava os plantios e criação de gado.

Aspectos Culturais

A cultura cearense é influenciada pelos costumes europeus, juntamente com os costumes ameríndios e afro-brasileiros. É comum o artesanato, herança da cultura dos índios, que já confeccionavam artigos antes da chegada dos lusitanos. Os nativos utilizavam os cipós e carnaúbas para fazer o artesanato, bem como o uso de algodão numa tecelagem primitiva.

cearahumorOs cearenses são grandes humoristas. A respeito da cultura da sátira, piada e entre outros segmentos, o Ceará é um berço de comediantes e se destacam nas diversas vertentes da arte. Na literatura, apresenta uma variedade de grandes escritores brasileiros e um exemplo disso encontra-se na região do Juazeiro do Norte, que podem ser citadas as literaturas de Cordel.

A música cearense mais conhecida é o forró. Pé de serra é bem comum na região. Apresentam danças como o 'maracatu cearense', as bandas de pífano (pequenas flautas transversais), entre outros. Outro elemento da cultura musical do Ceará são os repentistas, que animam os shows com suas rimas interessantes.

A religião no território cearense é um importante item da cultura do estado. Com a influência dos países europeus cristãos, o Ceará se tornou o estado com umas das maiores concentrações de católicos do país. Além das religiões cristãs, lá existe também uma série de praticantes da Maçonaria, religião essa que chegou com as personalidades da história.

Personalidades

  • Francisco Anysio de Oliveira Paulo Filho, conhecido como Chico Anysio, é humorista, ator, escritor, compositor e pintor. Nasceu em Maranguape.

 

  • Antônio Renato Aragão, o Didi Mocó ou Didi, é ator, diretor, produtor, comediante, humorista, escritor, apresentador e cantor. Nasceu em Sobral.

 

  • José Martiniano de Alencar, o José de Alencar, jornalista, político, advogado, orador, crítico, cronista, polemista, romancista e dramaturgo. Um dos mais famosos escritores da literatura brasileira, nasceu em Messejana.

 

  • Luís Gonzaga do Nascimento, compositor, conhecido como o Rei do Baião. Nasceu em Exu.

 

  • Cícero Romão Batista, o Padre Cícero ou Padim Ciço, foi um sacerdote católico. Nasceu em Crato.